O Que Será de Nozes 2: divertimento morno

Se investir em sequências já é um clichê para lucrar em Hollywood, quando se trata de filmes infantis, essa saída torna-se ainda mais recorrente. Somente esse ano, já foram Meu Malvado Favorito 3 (Despicable Me 3, 2017), Carros 3 (Cars 3, 2017) e LEGO Batman: O Filme (The LEGO Batman Movie, 2017) ‒ que não é propriamente uma sequência, mas aproveita o sucesso de Uma Aventura Lego (The LEGO Movie, 2014). Não poderia ser diferente com O Que Será de Nozes 2 (The Nut Job 2: Nutty by Nature), cujo primeiro filme arrecadou mais de 120 milhões de dólares no mundo todo em 2014, segundo dados do IMDB.

Os esquilos Max e Andie

Na continuação, dirigida por Carl Brunker e escrita pelo mesmo em parceria com Bob Barlen e Scott Bindley, o grupo de esquilos comandado por Max vive numa loja de nozes abandonada, onde não precisam se preocupar com a comida e podem apenas se divertir. A esquila Andie, porém, extremamente incomodada com a situação, vive dizendo aos esquilos que não devem se acostumar e precisam voltar a colher nozes da maneira “correta”, isto é, colhendo das árvores. A maioria dos amigos a ignora, mas, quando um acidente explode a loja em que viviam, são obrigados a obedecê-la, voltando a morar no parque da cidade de Oakton.

Entretanto, os esquilos rapidamente descobrem que o local está sob ameaça: o prefeito de Oakton, tirano e corrupto, pretende substitui-lo por um parque de diversões. A partir de então, os esquilos devem se unir para impedir que o projeto seja colocado em prática, acabando com sua fonte de subsistência.

Já de início fica aparente que o filme não tem muito propósito além de tentar atingir um público próximo, em tamanho, do que obteve seu antecessor. Começa com uma narrativa um tanto episódica, sinal de um roteiro mal acabado que demora todo o primeiro ato para decidir onde quer chegar. Enquanto isso, o que o espectador tem diante de si é um compilado de trocadilhos óbvios e cenas redundantes.

Sr. Feng e seu exército de ratinhos fofinhos

Felizmente, a partir de determinado ponto, a trama encontra seu lugar e deslancha. Os personagens que possuem maior importância no enredo são relativamente bem desenvolvidos, com destaque para a cachorrinha Pérola e o rato Sr. Feng, que protagonizam algumas das cenas mais eficientes e engraçadas. A direção usa algumas boas piadas visuais, brincando principalmente com a perspectiva dos pequenos animais e o contraste de seu tamanho com o dos humanos que enfrentam. A trilha sonora também funciona bem, ainda que não seja nada original, já que utiliza clássicos do rock do mesmo modo que é feito desde Shrek (2001).

Ao fim, O Que Será de Nozes 2 diverte, mas o faz sem oferecer nada de muito especial ou surpreendente, o que o torna bastante dispensável: nem dá dor de estômago, nem enche a barriga. Dentre tantas, é só mais uma sequência desnecessária de um filme que fez sucesso.

O filme estreia no dia 14 de setembro. Confira o trailer:

por Matheus Souza
souzamatheusmss@gmail.com

Comentários