22º Festival É Tudo Verdade – Quem é Primavera das Neves?

Este filme faz parte do 22º Festival Internacional de Documentários É Tudo Verdade. Para mais resenhas do festival, clique aqui.

Conhecido tanto dos estudantes de ensino básico nas aulas de geografia e sociologia, mas também material muito presente em cursos de roteiro cinematográfico, o curta-documentário Ilha das Flores (1989) é realmente uma aula de linguagem audiovisual, e que influenciou vários outros realizadores, além da obra de seu próprio realizador, Jorge Furtado. Assim como o ótimo O Mercado de Notícias (2014), o documentário Quem é Primavera das Neves? (2017) também utiliza de alguns elementos conhecidos do diretor, como uma bem-humorada metalinguagem, mas se distancia ao apresentar um tom mais intimista e menos tapa-na-cara como seus trabalhos antecessores. O longa é dirigido em conjunto com Ana Luiza Azevedo.

Primavera-e-a-mae

A história por trás da produção do documentário é bastante curiosa. Em 2010, Furtado publicou em seu blog um artigo em que se perguntava quem era a tradutora Primavera das Neves, que constava nas edições brasileiras de Alice no País das Maravilhas e Alice Através do Espelho. Por achar um nome poético, o cineasta procurou em sites de busca a biografia da mulher, porém em vão. Começou então uma procura por mais informações sobre quem seria Primavera, até que em 2013, um comentário no blog deu início ao documentário. Tratava-se de Eulalie Ligneul, amiga de infância de Primavera e que é uma das personagens principais da produção.

A partir daí, o longa caminha não só pelo ofício de tradutora, mas também sobre a trajetória de vida bastante interessante de Primavera. Filha de um anarquista português e uma sufragista espanhola, Vera, como era mais usualmente conhecida, viveu entre os livros e uma rica cultura desde cedo, fugindo de ditaduras e intercalando sua identidade portuguesa, onde nasceu, e brasileira, onde cresceu.

Jorge-e-Eulalie-no-Liceu

Com depoimento de amigas e Manuel Pedroso Marques, ex-marido de Primavera, o longa traça a história da curta vida com fotos pessoais dos envolvidos. Mas o grande trunfo foi a descoberta de um material de poetisa de Primavera, bastante rico. Os versos são interpretados pela atriz Mariana Lima, que com maestria consegue passar a emoção das palavras. Também são interpretados por Mariana alguns trechos das obras traduzidas por Vera, mostrando a ligação dos acontecimentos de vida com os livros, além de trazer para a tela o quanto de trabalho autoral existe na função dos tradutores.

Com a função de contar uma ótima história, ao mesmo tempo que traz à tona e ao conhecimento de mais pessoas de quem foi essa personalidade, Jorge Furtado e Ana Luísa Azevedo entregam um documentário que consegue, ao mesmo tempo, ser emocionante e informativo.

Assista ao trailer:

Por Mel Pinheiro
mel.pinheiro.silva@gmail.com

Comentários