O Candidato Honesto 2 é surpreendentemente bom

ATENÇÃO: A resenha a seguir contém spoilers. Clique no trecho borrado para revelá-los.

Antes de mais nada, O Candidato Honesto 2 (2018) é um filme do gênero comédia besteirol. Sendo assim, 90% do seu roteiro conta com piadas pouco desenvolvidas que se apoiam ou no absurdo e na bizarrice das situações retratadas, ou no jeito atrapalhado de Leandro Hassum. Dado isso, passemos aos outros 10%.

Continuando os eventos de O Candidato Honesto (2014), o filme mostra a vida de João Ernesto (Hassum), o político que misteriosamente ficou incapaz de mentir, depois de cumprir pena na prisão por quatro anos. Inicialmente se negando a voltar para a política, João decide concorrer à presidência de novo depois de ver a situação atual do país.

(Imagem: Downtown Filmes)

O que se segue é um infinidade de referências e sátiras a personagens e situações políticas ocorridas nos últimos anos Brasil. Lava Jato, Impeachment, Dilma, Bolsonaro, Temer, Marina, Lula Livre, Japonês da Federal, Tiririca, Fulano ladrão roubou meu coração, Trump… Nem o antigo cabeleireiro de Dilma escapou dessa. No entanto, ao contrário de alguns programas de TV que costumavam passar nas noites de domingo, as sátiras em O Candidato Honesto 2 tem um quê de sofisticação.

Isso porque o longa não faz suas personagens se limitarem a apenas copiar os trejeitos de seus originais, mas as utiliza para fazer críticas muitas vezes ácidas e bem fundamentadas sobre certas situações. O maior exemplo disso é Ivan Pires (Cassio Pandolfh), político experiente cuja aparência e atitudes lhe dão um ar vampiresco. Em O Candidato Honesto 2, é ele quem convence João a voltar para a política, com a condição de que fosse seu vice-presidente. Como a vida real já nos faz antecipar, tudo era um plano para Ivan comandar o país, visto que não possuía o carisma ou a confiança do povo para vencer as eleições do modo tradicional.

(Imagem: Downtown Filmes)

Esquema exposto, a figura da vida real que inspira o personagem de Ivan acaba sendo alvo de uma séries de críticas arquitetadas pelo roteiro do filme. Ardiloso, traidor, duas-caras, autoritário, egoísta: o que se constrói é uma figura que não dá a mínima para o povo e que só se importa com a manutenção do sistema. Considerando a situação do país atualmente, O Candidato Honesto 2 é muito ousado para uma comédia pastelão.

Ousado, mas nem tanto. Como que para balancear o tom das críticas e escapar do ataque de extremistas que poderiam acusar o filme de ser partidário de um certo lado, O Candidato Honesto 2 procura uma imparcialidade forçada nas cenas finais e acaba caindo em uma inconsistência lógica no roteiro. Apesar de sabermos que João sofreu um impeachment ilegítimo, em seu último discurso como presidente ele afirma que “não foi golpe”.

O Candidato Honesto 2 estreia dia 30 de agosto nos cinemas. Confira o trailer abaixo:

por Bruno Menezes
brunomenezesbaraviera@gmail.com

Comentários