Fazendo história

Outsiders e Rebeldes de Hollywood: a Tribo dos Sem-Tribo

Hugo Neto O processo de construção da identidade de uma estrela cinematográfica envolve, invariavelmente, uma complexa projeção das qualidades próprias inerentes à personalidade do ator ou da atriz sobre os personagens que interpreta. Em outras palavras, personagem e intérprete formam um [...]

Crianças clássicas

Hugo Nogueira O cinema musical tornou-se parte integrante da produção hollywodiana logo nos primeiros anos do advento do som nas telas. O Cantor de Jazz (The Jazz Singer, 1927), o primeiro filme sonoro, já trazia a marca primitiva do musical com a enérgica performance de Al Jolson na canção [...]

God Save The Queen: o Absolutismo no Reino do Celulóide

Hugo Nogueira Em 1937, o New York Daily News promoveu uma enquete que resultou a eleição de Clark Gable e de Mirna Loy como o Rei e a Rainha de Hollywood. A associação entre o estrelato e a condição nobiliária parecia, então, bastante natural. Astros e estrelas cinematográficos simbolizavam a [...]

Paixão e Desejo nos Anos 40

Hugo Nogueira Na década de 40, o cinema norte-americano produziu um gênero inédito, marcado pela modernidade, pela força da realidade urbana e pela ambivalência da natureza humana. O film noir foi uma estética cinematográfica caracterizada pela indistinção entre o bem e o mal, pela crítica [...]

Os limites do corpo na exaltação do vigor físico

Hugo Nogueira Desde o princípio, o cinema exaltou a destreza física e a virtude atlética, colocando o corpo humano em situações extremas. Foi o astro Douglas Fairbanks quem, pela primeira vez, integrou sex appeal à habilidade esportiva em filmes como Robin Hood (1922). A carreira de Fairbanks [...]

Cinema no céu, na água e no ar!

Hugo Nogueira Os trens começaram a circular no celulóide já na gênese da expressão cinematográfica. Colocando nas telas as primeiras cenas de perseguição e captura, The Great Train Robbery (Edwin S. Porter, 1903) foi o primeiro filme que congregou os gêneros western e aventura, sugerindo as [...]

Invenção e Reinvenção: A Arte do Beijo no Cinema

Hugo Nogueira The Kiss (1896), filme com menos de um minuto de duração, é um pequeno ornamento arqueológico na história do erotismo cinematográfico: o corpulento John C. Rice une, pudicamente, seus lábios aos da matronal May Irwin, consubstanciando um breve beijo amadorístico, polido, [...]