Charlie Chaplin: o clássico do cinema mundial

Por Giovanna Chencci,
g.chencci@gmail.com

Conhecido pelos seus personagens famosos e pelo cinema mudo do início do século XX, Charles Chaplin é um dos maiores ícones do cinema mundial. Dotado de um estilo excêntrico e original, o ator, diretor e produtor fez história e revolucionou o cinema.

Charles Chaplin nasceu em Londres no dia 16 de abril de 1889. Seus pais, Charles Spencer Chaplin e Hannah Chaplin, faziam parte do mundo artístico do music-hall como cantores e atores. Essa influência foi o que fez Charles entrar no palco logo na infância junto com os seus irmãos  que, após o divorcio dos pais, passaram por momentos difíceis e conturbados. O pai de Chaplin foi um alcóolatra durante muitos anos, o que o levou a desenvolver uma cirrose que o matou quando o filho ainda tinha 12 anos. A mãe do ator também sofreu problemas de saúde logo na infância dos filhos. Anos após seu divórcio, Hannah passou a sofrer com suas instalibidades emocionais de modo que logo foi deixada em um asilo, o Asilo Cane Hill.
Toda essa dificuldade familiar que Charlie Chaplin passou logo no começo de sua vida, fez com que sua carreira começasse prematuramente. Com 5 anos ele já tinha entrado em cena cantando a música “Jack Jones”, popular entre a sociedade da época. Charlie também teve que viver em escolas para pobres juntos com os seus irmãos em decorrência dos problemas de sua mãe. Porém, nenhuma dessas crises o impediu de prosseguir com a sua vida da forma mais brilhante possível.

chaplin ditador

O Ditador (The Great Dictator, 1940)

Vida nos Estados Unidos

Após algumas aparições nos palcos quando criança, em 1908, Charlie começa a trabalhar em diversos teatros de variedades e acaba se destacando como mímico. Já em 1910, o ator inicia sua primeira turnê aos Estados Unidos com a trupe de Fred Karno. Essa experiência durou somente 2 anos, mas logo retorna aos Estados Unidos para a mesma temporada com a turnê de Karno. No final de 1913, o ator é visto por Mack Sennett, dono da Keystone Film Company, que o chama para substituir um de seus atores no filme “Making a living”. Charlie Chaplin teve grande dificuldade para se adaptar ao mundo cinematográfico, de modo que seu primeiro filme não é muito famoso pelo seu sucesso, já que de acordo com muitos, foi um fracasso para o diretor Sennett.

O começo do sucesso

Porém, foi dada uma segunda chance para Charlie Chaplin, que em 1914, desenvolveu seu personagem mais famoso, o Vagabundo. Esse personagem é conhecido por ser um andarilho pobretão mas com maneiras de um cavalheiro. Com o seu chapéu-coco, sua bengala de bambu, suas calças e paletó desgastados, seu sapato muito maior que o seu pé, além do famoso e peculiar bigode, o personagem logo ganha a admiração do público. Sua primeira aparição foi no filme Kid Auto Races em 1914, mesmo ano de outro filme de Charlie, Mabel’s Strange Predicament. Esses filmes eram típicos do estilo da comédia pastelão, que se caracterizava por provocar o riso fácil pelas cenas de tropelias que envolviam algumas agressões físicas, além de conterem muitos gestos exagerados. O público logo no começo passou a amar esse diferente personagem e admirar esse novo tipo de comédia que estava sendo produzido, mesmo que pudesse ser considerado por muitos críticos na época como vulgar.

Logo depois do personagem O Vagabundo, Charlie Chaplin passa a dirigir e editar seus próprios filmes. Nessa época, chegou a produzir cerca de 34 curtas metragens, filmes que começaram a marcar a consolidação do sucesso do cinema mudo na época. Esse tipo de cinema ganhou certo destaque por ser, entre outras coisas, de fácil assimilação do público, justamente por ser mudo. Charlie começava, nesse momento, a sua grande trajetória da fama.

Trechos de algumas de suas obras:

A vida além da atuação

Charlie também trabalhou em outras produtoras de filmes que lhe garantiram muito sucesso. Entre elas está a Mutual Film, onde Chaplin produziu os seus mais clássicos e famosos filmes como Carlitos Guarda Noturno(Easy Street, 1917) e Casa de Penhores (The Pawnshop, 1916) . Porém, em 1919, cria a sua própria produtora, United Artistis, junto com a produtora Mary Pickford, o ator Douglas Fairbanks e o diretor D. W. Griffith.

A abertura dessa produtora marcou a independência do ator (assim como de seus sócios) em relação as grandes corporações cinematográficas que ganhavam cada vez mais espaço em Hollywood. Clássicos filmes foram feitos nessa época de ascensão da produtora, porém continuaram sendo mudos por um longo tempo, mesmo depois do crescimento do cinema falado a partir da década de 1930.

Ainda não se convertendo ao cinema falado, Chaplin passa a produzir filmes com efeitos sonoros. É nesse momento que grandes sucessos do ator são feitos.  Tempos Modernos (Modern Times, 1935) chega ao público e pela primeira vez com a voz de Chaplin, mas em música. “Smile”, música feita pelo ator, faz parte da trilha sonora do filme, que também contem alguns sons de objetos inanimados como rádios e máquinas.

O primeiro filme falado sai em 1940 com o título de O Ditador (The Great Dictator). Em sua história, Chaplin satiriza o ditador Adolf Hitler e ridiculariza as ações praticadas pelo fascismo nessa época. Esse filme marca uma grande coragem política dos produtores ao assumir um lado durante a Segunda Guerra Mundial.

Vida Pessoal

Charlie Chaplin, por ter seus pensamentos mais voltados para a esquerda, era muitas vezes intitulado de comunista diante da sociedade americana capitalista da metade do século XX. Isso lhe rendeu a sua inserção na Lista Negra de Hollywood por J. Edgar Hoover, que assim que pode, “excluiu” Chaplin dos Estados Unidos. Isso aconteceu em 1952, quando Chaplin, em viagem ao Reino Unido para a divulgação de seu filme Luzes da Ribalta (Limelight, 1952) teve seu visto revogado. A partir de então, Charlie Chaplin passou a viver em Vevey, na Suiça.

Oona O’Neil e Charlie Chaplin

Oona O’Neil e Charlie Chaplin

Quando se trata da vida amorosa do ator, há muita movimentação e mudanças. Charlie Chaplin se casou 4 vezes.

Em 1918, acontece o seu primeiro casamento, que acaba após 2 anos. Já em seu segundo casamento, Chaplin tem seus primeiros dois filhos, mas o relacionamento não dura muito e em 1926, ele se divorciam. O terceiro casamento também foi breve, de modo que o ator só encontrou uma relação duradoura com a sua última esposa, Oona O’Neil, com quem se casou em 1943, ele com 54 anos e ela com 17.

Oona e Charlie tiveram 8 filhos e só foram separados pela morte do ator em 1977. Vale lembrar também que entre todas as mulheres de Charlie, houveram dezenas de namoradas, algumas até muito problemáticas.

Na década 1960, Charlie começa a ter os primeiros sinais de que sua saúde não ia bem, logo após a conclusão do filme A Condessa de Hong Kong (A Countess from Hong Kong, 1967). Já no ano de sua morte, o ator tinha dificuldades na fala e na locomoção, de modo que em 25 de dezembro de 1977, ele morre, dormindo, devido a derrame cerebral. Naquela época, ele morava na Suiça e foi enterrado em Corsier-sur-Vevey, Vaud. Em 1991, morre sua esposa que é enterrada ao seu lado.

charlie chaplin

Última sessão de fotos de Charlie Chaplin

O corpo de Charlie chegou a ser roubado em 1978 por mecânicos suíços na tentativa de extorquir a família do ator. O corpo foi recuperado após algumas semanas e os ladrões foram capturados e presos. Depois do roubo, a segurança em sua sepultura foi reforçada para que não houvessem mais incidentes.

Charlie Chaplin ganhou seu primeiro Oscar em 1972 com o filme Luzes da Ribalta (Limelight, 1952) com Melhor Trilha Sonora. Nesse mesmo ano, após ter passado as últimas duas décadas longe dos EUA, Chaplin recebeu o prêmio honorário pelas suas obras, o que lhe rendeu aplausos calorosos dos membros da academia.

 

Chaplin ganhando o Oscar Honorário:

 

 

Comentários