Entre drama e ação, Kin traz um mistério futurístico para as telas

Elijah e seu irmão, Jimmy, durante uma das muitas cenas de ação do filme (Imagem: Divulgação)

O filme Kin (2018), estrelado por James Franco e Zoë Kravitz, traz um misto de drama familiar e ação com uma pitada de ficção científica. A história tem como personagem principal Elijah Solinski, filho adotivo de Hal Solinski. Elijah foi abandonado por seus pais biológicos e perdeu a mãe adotiva durante a infância. Além disso, seu irmão, Jimmy, vai para a cadeia, e assim Elijah vive grande parte da sua vida apenas com seu pai adotivo.

Jimmy volta da cadeia completamente encrencado com traficantes que lhe ofereceram proteção, liderados por Taylor Bolek (James Franco). Sem dinheiro, ele pede ajuda ao pai, mas Hal nega veemente, já que criou repulsão do filho depois de sua prisão. Jimmy então decide assaltar o cofre da empresa de seu próprio pai, mas as coisas fogem do controle e Hal e o irmão de Taylor morrem.

Nesse meio tempo, Elijah encontra soldados com trajes futuristas em um prédio abandonado, onde roubava cabos para tentar comprar um tênis novo. Assustado, volta correndo para casa, mas dias depois decide voltar e encontra apenas uma arma de resquício. Quando seu irmão o engana para fugirem dos traficantes, o jovem decide levar a arma consigo, e esta acaba sendo essencial na fuga dos irmãos. A partir de então, polícia, máfia e os soldados futuristas passam a caçá-los, e os dois embarcam, junto de Milly, uma dançarina que conheceram em uma boate, numa fuga arriscada e ostentatória.

O jovem Elijah testando um dos modos da arma que achou no galpão (Imagem: Divulgação)

Milly é a mais madura do trio, e cria uma forte relação com Elijah, por se identificar com a história do jovem. A construção das outras personagens também é bem detalhada, ainda que, considerando a atuação, o destaque fique mesmo com James Franco. Elijah, apesar de ainda ser bem ingênuo e tímido, demonstra grande coragem quando necessário, seguindo os conselhos do pai adotivo. Hal tem uma personalidade forte, que fica muito presente no jeito que trata Elijah e na decepção com Jimmy.

O irmão mais velho é quem tenta trazer um pouco de humor para o filme, com seu jeito despojado e brincalhão, independentemente das dificuldades em que se encontram. O problema de Jimmy é que, mesmo tendo boas intenções na maioria das vezes, ele acaba atraindo cada vez mais problemas numa grande bola de neve.

Para quem assistiu o trailer, a impressão inicial é de que são noventa minutos de pura ação, com muitos tiros e explosões, digno de ser exibido na Tela Quente na Globo pelos próximos anos. Contudo, a primeira metade do filme é dedicada ao drama da família, que envolve a prisão do irmão e sua relação com criminosos e a morte da mãe. A ação em si começa mais para o final do filme, quando Elijah dispara pela primeira vez a arma para proteger seu irmão na boate.

Ainda que se tenha a sensação de que o filme demora para engrenar, ele não decepciona os amantes da ação. Do meio para o fim, a obra é recheada de suspense e embates que prendem o fôlego do espectador, além de excelentes efeitos especiais. O problema é que o longa-metragem pede por uma continuação, e ainda que a trama seja interessante, falta carisma aos personagens e é difícil imaginar que se tenha bilheteria suficiente para a produção de uma sequência.

O filme chega aos cinemas no dia 6 de setembro. Confira abaixo o trailer legendado:

por André Netto
andrenetto82005@gmail.com

Comentários