Luzes no Céu: um amor maior que a realidade

Uma frágil fusão entre O Efeito Borboleta (The Butterfly Effect, 2004) e Your Name (2016). Esta seria a melhor definição para o longa Luzes no Céu (Fireworks, 2017), o mais recente trabalho dos diretores Akiyuki Shinbo e Nobuyuki Takeuchi. O anime foi produzido pelos estúdios Shaft e é baseado tanto na série nipônica Fireworks, Should We See It From the Side or the Bottom? quanto no filme homônimo, ambas obras em live-action lançadas em 1993.

A história gira em torno de três colegas de classe que vivem um inocente triângulo amoroso: a misteriosa e reservada Nazuna Oikawa; Yusuke Azumi, rapaz extrovertido e brincalhão mas que tem problemas em dizer o que sente por Nazuna; e Norimichi Shimada, o tímido melhor amigo de Yusuke, que gradativamente se apaixona pela mesma moça.

Luzes no Céu

Norimichi e Yusuke têm sua amizade posta à prova por um amor em comum [Divulgação]

Prestes a se mudar para outra cidade contra sua vontade, Nazuna decide fugir da casa de seus pais, tendo como cúmplice um dos amigos apaixonados por ela. Para decidir quem seria o escolhido, a garota sugere uma prova de natação que permitiria ao vencedor acompanhá-la em uma festividade religiosa naquela noite, quando só então ela revelaria suas verdadeiras intenções. Mesmo após toda a preparação, Nazuna não contava que fatores sairiam de seu controle e frustrariam seus planos. É quando entra em ação uma enigmática esfera que a menina carrega consigo o tempo todo: o que parecia uma simples joia encontrada por acaso na praia se revela um objeto mágico, que permite a seu detentor reviver — e modificar — qualquer instante de seu passado. Com esse novo artifício, o jovem casal buscará a superação dos mais diversos obstáculos que insistem em surgir a cada viagem temporal e atrapalham sua felicidade.

Tecnicamente, o filme conta com traços não tão trabalhados, se assemelhando mais aos animes veiculados na televisão que às grandes produções cinematográficas. Isso impacta diretamente em sua qualidade, pois o desenho simplificado ocasiona certa falta de expressão e dificuldade em transmitir emoções ao espectador (o que é agravado pela construção rasa da relação inicial entre os protagonistas). Apesar dos aspectos negativos, a película tem belos momentos, como as cenas panorâmicas e os close-ups ricos em detalhes. Alguns segmentos, como os que envolvem a separação dos jovens, assim como a sequência final, contêm a carga dramática que se espera desde o início.

Luzes no Céu

Cenas como as dos fogos de artifícios se sobressaem visual e sentimentalmente [Divulgação]

Estudantes de uma pequena cidade japonesa como protagonistas, uma complicada história de amor repleta de reviravoltas, um final aberto e poético: em linhas gerais, Luzes no Céu não traz nada de novo ao universo dos animes, mas seus momentos de beleza e emoção certamente agradarão os fãs mais românticos.

Luzes no Céu faz parte da Anime Night!, promovida pela rede Cinemark, e será exibido em todo o Brasil apenas no dia 20/03, às 19:30. Confira o trailer:

por Renato Navarro
renatonavarro@usp.br

Comentários