42ª Mostra Internacional de SP: Todas as Canções de Amor

Este filme faz parte da 42ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo. Para mais resenhas do festival, clique aqui.

(Imagem: Divulgação)

Dirigido por Joana Mariani, o filme Todas as Canções de Amor (2018) conta a história de dois casais que viveram no mesmo apartamento em períodos com uma distância de 20 anos entre eles.

Os recém casados Ana (Marina Ruy Barbosa) e Chico (Bruno Gagliasso) acabaram de se mudar para a nova casa. No meio da organização eles encontram um rádio antigo com uma fita cassete gravada por Clarice (Luiza Mariani), a antiga moradora do imóvel. A fita, intitulada “Todas as Canções de Amor: de Clarice para Daniel”, gera grande curiosidade em Ana que, com seu talento de escritora e inspirada nas músicas, resolve criar uma história para esse casal.

O cenário, a fotografia e a trilha sonora ganham um papel especial no filme, na medida em que todo o enredo gira em torno desses dois casais unidos apenas pelo ambiente e pelas músicas. Assim, a maioria das cenas se passam dentro daquele apartamento que é apresentado para o espectador de forma extremamente delicada, tanto nas passagens em que Ana e Chico mobíliam o lugar quanto durante a separação de Clarice e Daniel.

(Imagem: Divulgação)

O imóvel é colocado no centro do desenvolvimento de um lar e da desconstrução de outro, mostrando todo um processo que, querendo ou não, envolve muito amor, um sentimento que chega a quem assiste de modo a deixá-lo familiarmente aconchegado.

Embora a obra conte sobre a vida de marido e mulher, as personagens femininas são, igualmente, mais importantes e fortes que os homens nesse caso. Isso porque a ligação entre essas duas histórias distantes se deu por meio da fita deixada por Clarice, que montou uma sequência de músicas capazes de falar por ela, e pelo livro que Ana começa a escrever a partir disso. A presença dos maridos, principalmente de Daniel, se dá através da percepção dessas duas mulheres e por isso talvez o espectador acabe tendendo para a comparação entre esses dois homens de início, e só depois percebe que não se trata da mesma situação.

Da trilha sonora todas as músicas são originais, com exceção da primeira e principal, Eu sei que vou te amar de Vinícius de Moraes e Tom Jobim, que é interpretada por Maria Gadú.  

Ao mostrar esses dois lados o filme não quer ser nem muito romântico sonhador, nem pessimista com o amor. Ele mostra a realidade de que às vezes os casais acabam, mas isso não significa que se deva começar algo novo pensando em como ele vai terminar.

Todas as Canções de Amor já está em cartaz nos cinemas brasileiros. Confira o trailer abaixo:

por Maria Laura Lopez
laura_lopez.8@usp.br

Comentários