A música da Terra Média: da trilha sonora ao rock progressivo

O Senhor dos Anéis é uma trilogia clássica do cinema, ganhadora de 17 Oscars, de 30 indicações. Baseada nos livros de J. R. R. Tolkien, os três filmes da saga original contam a história de Frodo Bolseiro e seus companheiros hobbits (além de humanos, elfos, anões e magos) para destruir o “Um Anel para todos governar”.

A Sociedade do Anel, criada para destruir o Anel e deter o avanço de Sauron. (Imagem: Reprodução)

Caracterizados pelas filmagens maravilhosas na Nova Zelândia, a direção excelente de Peter Jackson e atuações incríveis, os três filmes também contam com uma trilha sonora muito marcante e exclusivamente composta para agregar ainda mais ao retrato do fantástico mundo da Terra Média. As músicas ajudam – e muito –  na ambientação, e contribuem com a passagem das mais variadas emoções ao espectador.

Vamos conhecer um pouco mais sobre essa trilha também ganhadora de três prêmios Grammy, então?

 

O principal responsável pela soundtrack foi Howard Shore: ele compôs, orquestrou e produziu do início ao fim as músicas. Elas foram gravadas pela Orquestra Filarmônica de Londres, e contaram com a participação de artistas famosos, como Enya e Annie Lennox na faixa Into the West.

Shore, Enya e Annie Lennox recebendo o Oscar de Melhor Canção Original pela música “Into the West” (Imagem: Reprodução)

Mas, como dito anteriormente, houve foco total em proporcionar uma ambientação muito condizente às cenas. Para alcançar esse efeito, Shore visitava os locais de filmagem e assistia às filmagens. O objetivo era fazer com que as músicas representassem não só os personagens, mas também os lugares onde eles estavam e as culturas com as quais tinham contato ao longo da narrativa. Um exemplo disso é a faixa Concerning Hobbits, que explora a vivência dos hobbits no Condado, o vilarejo daquele povo. Fala sério, dá muita vontade de ser um hobbit só ouvindo a música (ou só viajar para a Nova Zelândia e visitar o local das filmagens)!

Clipe feito por fãs de Concerning Hobbits, de Howard Shore, demonstrando o dia a dia dos pequenos habitantes do Condado 

 

Ah, uma curiosidade: a mixagem da trilha sonora foi feita na icônica Abbey Road Studios – onde os Beatles gravaram o primeiro videoclipe da história com a música All You Need is Love. Mas a relação da história de Tolkien com a música não se limita apenas a uma trilha sonora premiada ou a gravação num estúdio mundialmente famoso: muitos artistas e bandas se inspiraram no mundo mítico de O Senhor dos Anéis para compor suas próprias canções.

A maioria dos compositores inspirados na obra de Tolkien são de vertentes do Rock, seja do Power Metal ao Heavy Metal. Aqui estão alguns exemplos de como diferentes gêneros musicais se basearam na mitologia da Terra Média:

 

Elvenpath – Nightwish

Essa banda finlandesa comandada por Tuomas Holopainen combina seu metal sinfônico extremamente popular na Europa com letras ricas em mitologias e referências a obras clássicas, inclusive O Senhor dos Anéis. A música Elvenpath (cuja tradução é “caminho dos elfos”) apresenta referências a Bilbo, personagem muito importante na trilogia e protagonista de O Hobbit (The Hobbit, 2012).

 

O fã-clube Comunidade Nightwish fez um vídeo explicando em detalhes TODAS as referências da composição. Vale a pena assistir para entender direitinho a mensagem da música!

 

 

The Lord of The Rings – Blind Guardian

A banda alemã de power metal e progressive metal baseia suas composições em diferentes mitologias, inclusive a de Tolkien. The Lord of The Rings é referência clara à trilogia, e a letra é uma introdução à narrativa de Frodo e seus amigos.

Blind Guardian também já lançou um álbum conceitual com a temática da Terra Média, chamado Nightfall in Middle-Earth, baseado na obra O Silmarillion. Além disso, há referências a O Hobbit, obra adaptada para o cinema em 2012, na canção The Bard’s Song.

 

 

The End of Summer (Galadriel’s Theme) – Bob Catley

O antigo vocalista da banda Magnum também lançou um álbum conceitual sobre O Senhor dos Anéis. Intitulado Middle Earth, o CD de carreira solo de Bob Catley retrata várias histórias do universo de Tolkien. A música escolhida para representar este belo trabalho refere-se a Galadriel, elfa que ajuda a Sociedade do Anel.

 

 

Shadows – Sabaton

Essa banda sueca de Power Metal se inspirou nas “sombras de Mordor” para compor a música. A letra fala das entidades comandadas por Sauron, grande vilão de O Senhor dos Anéis, buscando recuperar O Anel. O vídeo a seguir foi feito por fãs, e mostra a correlação da canção com momentos do filme.

 

 

This Day We Fight! – Megadeth

Valendo-se da perspectiva de um soldado em batalha, obcecado por vitória e vingança, a música da famosa banda comandada por Dave Mustaine foi inspirada pela mitologia das obras de Tolkien. A canção é presente no álbum Endgame, de 2009, e tem uma pegada muito Trash Metal, com linhas de guitarra rápidas e ritmo agressivo, típicos da banda.

 

 

The Battle of Evermore – Led Zeppelin

Uma das maiores bandas de rock de todos os tempos também usou a Terra Média como inspiração em várias canções. Entre elas, destacam-se Misty Mountain Hop,  Ramble On e The Battle of Evermore. Para representar o icônico grupo, escolhemos esta canção – também com temática de guerra – cujas referências às obras são mais evidentes.

Nesse clipe feito por fãs, que associa a letra de Led Zeppelin com as cenas da trilogia cinematográfica de O Senhor dos Anéis!

 

 

I See Fire – Ed Sheeran

Essa música faz parte da trilha sonora de O Hobbit: Desolação de Smaug (The Hobbit: Desolation of Smaug, 2014), mas o cantor já admitiu várias vezes que é um grande fã das obras de J. R. R. Tolkien. Na canção, Sheeran assume o eu-lírico como um dos anões da mitologia, e retrata o sentimento do fim do segundo longa-metragem da série.

 

Algumas menções honrosas também são necessárias para a nossa lista: bandas como Amon Amarth e Cirith Ungol têm seus nomes retirados do mapa da Terra Média. A cantora Enya, que participou da trilha sonora dos filmes, também lançou uma música chamada Lothlórien em seu terceiro álbum de estúdio, com a mesma pegada e inspiração.

 

Mapa da Terra Média (Imagem: Reprodução)

Sendo assim, não resta dúvida da influência gigantesca que O Senhor dos Anéis teve culturalmente. Seja pela trilha sonora cativante ou pelos inúmeros artistas que produziram novos conteúdos a partir do contato com Tolkien, o cinema e a música se tornaram mais ricos pela fantasia mitológica de O Senhor dos Anéis.

por Laura Alegre
lauraalegre@usp.br

Comentários