Os brinquedos atacam

Patrícia Chemin

Algumas vezes, só o nome do filme já dá a impressão de que ele não vai ser muito bom. É isso o que acontece com A Revolta dos Brinquedos (Toys, 1992). Apesar dessa sensação, é possível se divertir com algumas bizarrices do filme.

A excêntrica e extremamente colorida fábrica de brinquedos Zevo é o grande ambiente do filme. Há um certo intuito de reproduzir o espírito da versão original de A Fantástica Fábrica de Chocolate, mas a família Zevo não consegue ter a mesma magia de Willy Wonka.

As linhas de produção da fábrica são cheias de funcionários felizes e cantantes, e de brinquedos e outras bugigangas de plástico, num estilo anos 1980. A Brinquedos Zevo sempre teve como objetivo a preservação da diversão e da inocência, o que entra em risco quando o dono da fábrica morre de repente e deixa como sucessor seu irmão Lelande, um general em decadência e obcecado pela guerra.

O novo diretor decide que a empresa precisa fabricar brinquedos de guerra, algo que vai contra os ideais de seu sobrinho Leslie, interpretado por Robin Williams. Esse conflito entre a família Zevo leva ao domínio da fábrica pelas Forças Armadas e culmina numa batalha entre os brinquedos bons e os brinquedos malvados. Realmente há algo meio maligno em brinquedos antigos, com aqueles olhos grandes e mecanismos de corda. Não é só nos filmes do boneco Chuck que há brinquedos assassinos.

Robin Williams já interpretou outros personagens estranhos em filmes peculiares, como em O Homem Bicentenário, Jumanji e Uma Babá Quase Perfeita, reprisados inúmeras vezes na TV aberta. O que surpreende mesmo é ver Michael Gambon no papel do general Lelande. Há ainda outras coisas bizarras, como o fato de que o filho de Gambon é interpretado pelo ator/cantor de rap LL Cool J, no começo de sua carreira no cinema. Esse é também o primeiro filme em que Jamie Foxx atuou. Os atores até fazem boas interpretações, mas o desempenho deles não é o bastante para fazer nós ignorarmos os elementos toscos do filme. Dica: mesmo sendo muito esquisita, a parte do videoclipe da MTV é divertida.

Comentários