Que a Força esteja com os fãs de Star Wars

Graziela Cupertino

Sejam eles chamados de nerds, fanáticos ou simplesmente fãs, os apaixonados por Star Wars são muitos e estão espalhados por todo o mundo. Encantados com a maravilhosa saga, muitos a trazem para a realidade e para o dia-a-dia da civilização moderna: alguns vestem-se como criaturas dos filmes, outros agem como Jedis. São múltiplas as possibilidades e todas elas juntas servem para mostrar que quem catalogou Star Wars como ficção científica cometeu, pelo menos em partes, um grande engano. E é para provar isso que o Cinéfilos entrevistou, nesse mês, a presidente do Conselho Jedi de Minas Gerais, Daniela “Aayla”.

Aayla, que mora em Belo Horizonte e estuda disciplinas do Mestrado em Lazer na UFMG, participa do Conselho desde 2004. Nesse ano, juntamente com o namorado e alguns amigos, ajudou a reativá-lo, depois de 40 meses em que estava parado. Ela, como o restante do Conselho Jedi, é uma grande fã de Star Wars e diz que começou a gostar da série por causa de seu irmão. “Ele [o irmão] brincava de luta de sabres, com os amigos na rua, usando cabos de vassoura e muitas vezes me dava vassouradas achando que era um Jedi. Ele me fez assistir os filmes e acabei gostando. Gostando dos filmes, e não das ‘sabradas’!”

Mas você deve estar se perguntando: o que exatamente é o Conselho Jedi? Aayla explica: “O Conselho Jedi Minas Gerais consiste num fã clube de Star Wars, não registrado e sem fins lucrativos, que funciona principalmente via internet, envolvendo fãs de todo estado afim de compartilhar informações de uma paixão em comum: Star Wars.”

O CJMG é organizado hierarquicamente. Há a Diretoria, que é formada por dois membros na Presidência e um na Coordenação de Eventos. A seguir, vêm os Coordenadores de Projetos e, depois, os presidentes dos fãs-clubes filiados em outras cidades mineiras, que são chamados de Postos Avançados. Por fim, temos os fãs, que são divididos entre Membros Honorários (fãs que já participaram da diretoria do fã-clube em algum momento desde a fundação), Membros Executivos (fãs atuantes, possuem fantasias e as vestem em eventos) e Membros Associados (fãs que gostam apenas de apreciar os membros executivos em eventos, ou trocar e-mails).

São desenvolvidas atividades presenciais, chamadas de Projetos, e que são propostas pelos próprios fãs. Atualmente existem oito: Star Wars FanFilm, Jedi Modelismo, Star Bar, Academia de Sabre, Jedi Band, Fan Zine Fic, RPG Star Wars Minas, Star Wars Divas de Minas, e ainda, um virtual chamado Blog da Aliança (para saber mais sobre os projetos, acesse http://conselhojediminas.com.br/projetos/). Além dos Projetos, o CJMG desenvolve Eventos, que são confraternizações, aparições com fantasias em locais públicos e também ações sociais (como arrecadação de alimentos, visitas a creches e campanha pelas crianças com câncer para o Hospital das Clínicas).

A paixão por Star Wars não reúne apenas o estado de Minas Gerais: ela está presente no país inteiro. E é para juntar os fãs brasileiros que existem os encontros chamados JediCon (Convenção Jedi). Aayla participou, nos últimos anos, de encontros ocorridos em São Paulo e no Rio de Janeiro e falou um pouquinho sobre eles. “Foi uma experiência muito agradável, pois, além de encontrar os amigos que conversam o ano todo virtualmente, há uma variedade enorme de produtos da franquia Star Wars que não encontramos em MG e os preços são sempre bons. Como as Jedicon acontecem anualmente, ficamos o ano todo aguardando esta data para comprarmos produtos, ao invés de adquirirmos via importação!”

E é também nesses encontros que os fãs aproveitam para fantasiar-se como personagens da série. A presidente do CJMG veste-se de Aayla Secura. A escolha de sua personagem veio com um palpite do namorado. “O meu namorado disse que, apesar da cor azul, eu iria gostar de Aayla Secura, pois ela tinha um gênio parecido com o meu. Dito e feito. Ele disse ‘apesar’ por saber que sou atleticana doente, e nunca possui nem roupas azuis! Aceitei me vestir toda de azul porque realmente foi o personagem que mais apresentava características em comum com a minha pessoa. Ela é determinada e guerreira.”

Incorporar personagens, além de servir para demonstrar a paixão por Star Wars, acaba sendo um meio de fugir, temporariamente, do cotidiano. “Certamente é muito mais fácil do que se vestir e incorporar personagens que fazem parte do nosso cotidiano! Imagina um cotidiano onde acorda-se 6 da manhã, passa o dia na faculdade ‘incorporando’ um aluno, pega engarrafamento e ônibus lotado ‘incorporando’ um cidadão comum, veste outra roupa completamente diferente para trabalhar e ‘incorpora’ um profissional dedicado, e mesmo chegando em casa, precisa ‘incorporar’ uma faxineira, cozinheira ou filha de família? [risos] Eu quis dizer que, ao vestir-se e incorporar um personagem de Star Wars e provavelmente outros também, há um desligamento de hábitos e costumes rotineiros, e é isso que difere a realidade da fantasia. É um prazer. É lazer.”

Mas nem todas as pessoas enxergam com esses olhos. Muitas vezes, os fanáticos por Star Wars ou por outras séries são ridicularizados e criticados. Aayla diz, entretanto, nunca ter passado por situações dessas. “Nunca sofri preconceito por isso, pois o meio cultural que vivo há muitos anos é assim, formado por nerds e ecléticos.”

Por fim, Aayla, como uma boa Jedi, disse acreditar piamente na existência de uma Força. “A Força existe para todos. Ela está presente em cada um de nós. Uns a aceitam em forma de religiosidade, outros como determinação, outros como sentimento, enfim. A Força é nossa aliada, só precisamos saber usá-la no cotidiano, para superarmos dificuldades e sermos cada vez mais felizes. Que a Força esteja com você!”

Para saber mais sobre os Conselhos Jedis do Brasil: http://www.conselhojedi.com.br/

Comentários