Top 10: As dez maiores tribos do cinema

Graziela Cupertino

Um herói precisa de uma tribo. Um vilão precisa de uma tribo. Um filme precisa de uma tribo. Não interessa se ela é composta por duas pessoas ou por um milhão: o importante é que ela exista. E que saiba marcar presença, é claro!

1. As gangues, de “Amor, Sublime Amor”

Impossível falar de tribos e não se lembrar do musical “Amor, Sublime Amor” (West Side Story), de 1961. De um lado, está a gangue dos Sharks, formada por imigrantes porto-riquenhos. Do outro lado, os Jets, brancos anglo-saxônicos. Com todo o charme utilizado para estalar os dedos e dançar pelas ruas de Nova York, definitivamente os Sharks e os Jets merecem ocupar, juntos e com toda a sua rivalidade, o topo da lista.

2. Os adolescentes, de “American Pie”

Sexo, dinheiro e aventura: é tudo isso o que a tribo dos adolescentes da série de filmes “American Pie” busca. Podem ser nerds, bonitões esportistas ou patricinhas gostosas, mas todos estão atrás do único objetivo de curtir a vida adoidado.

3. Os Jedis, de “Star Wars”

Eles são fortes, poderosos e estão sempre prontos a ajudar a galáxia. Com seus sabres de luz, lutam contra o mal e protegem os seres mais vulneráveis. Não têm medo do perigo, são sábios e… Eles são Jedis! Que a Força esteja com eles, sempre.

4. Os gays, de “A Gaiola das Loucas”

Cheios de glamour e rouge, os gays do filme “A Gaiola das Loucas” (La cage aux folles), de 1978, deixam muitos machões no chinelo. Frequentadores da badalada boate de Renato, o líder do bando, eles ralam muito para dançar magnificamente e para arrasar com suas roupas super glamourosas. Mas o que os fazem mais homem que muito heterossexual é a própria coragem de terem se admitido gays para o sogro ultraconservador do filho de Renato! Haja fôlego.

5. Os hobbits, de “O Senhor dos Anéis”

Elfos? Magos? Humanos? Que nada! Melhores mesmo são os hobbits. Com seus (menos de) um metro, eles moram em tocas e, veja só, ANDAM DESCALÇOS! Sempre com uma Erva-de-fumo no bolso, eles são assíduos frequentadores de festas e adoram suas vidinhas pacatas. Mas, é claro, também adoram aventuras (principalmente aquelas com anéis, seres malvados e guerras)!

6. Os brinquedos, de “Toy Story”

Eles falam e pensam. Ficam guardadinhos na caixa fechada… Mas, ah, é ilusão sua pensar que, quando você sai do quarto, eles continuam lá, Andy! Porque, sim, ao contrário das indicações da embalagem, os brinquedos se movimentam sozinhos! Bonecas, super-heróis, ursinhos, soldadinhos: estão todos vivos! E apenas esperam o momento certo para agir…

7. O Clube da Luta, de “Clube da Luta”

Há quem diga que a paz leva à liberdade. E há quem diga que o verdadeiro caminho é… a luta! Os homens do Clube da Luta com certeza fazem parte do segundo grupo de pessoas. Cansados de seus compromissos e trabalhos, eles se juntam para esquecer todos seus problemas, para lutar, para sangrar, para se libertar. E é assim, cheios de hematomas, que eles ocupam nossa oitava posição.

8. Os mutantes, de “X-Men”

Ficar invisível ou controlar a mente de outras pessoas é impossível, mas apenas para aqueles que não possuem poderes especiais – o que não é o caso dos mutantes da série de filmes “X-Men”. Com suas capacidades um tanto quanto incomuns, eles lutam contra o mal ou são o próprio mal: alguns são heróis, outros vilões. Mas, não importando de que lado eles estejam, para a maioria dos humanos “normais”, todos são verdadeiras aberrações.

9. Os bruxos, de “Harry Potter”

Cheios de magia, os bruxos da série “Harry Potter” estão sempre com suas varinhas em punho e vestidos com suas capas. Conhecem seres bizarros, fazem poções com ingredientes estranhos e sabem de cor nomes como “Expelliarmus” e “Avada Kedavra”. Resumindo: eles são nossa 9ª maior tribo.

10. Os Homens que Detestam as Mulheres, de “Os Batutinhas”

Nem mesmo um incêndio em sua sede consegue destruir o Clube dos Homens que Detestam as Mulheres, do filme “Os Batutinhas” (The Little Rascals), de 1994. O nojo que sentem pelas garotas é muito mais forte que qualquer outra coisa!

Comentários